25 dezembro 2008

18 dezembro 2008

29 novembro 2008

Eu odeio umidade.
Adoro ficar molhada, no chuveiro, adoro agua. Mas tem uma hora entre o sair do banho e se secar totalmente em que é absolutamente torturante existir. É aquela hora em que ainda não se está totalmente seco. A gente sente umidade no corpo. É um momento torturante da existência, com toda certeza.
A pele deveria deslizar. Não como se tivesse gel nela, mas como se estivesse coberta de pó. Como talco. Seca.
O problema das pessoas, e meu também, claro, porque eu sou uma pessoa, é que a gente é umido demais. Quantos por cento do nosso corpo é feito de água? Vários, eu creio. 80% talvez? É muita água, com certeza. A sorte é que a maior parte dessa água fica por dentro da pele, e pra minha sorte só preciso mesmo que me preocupar com as partes secas que ficam de fora. Por dentro todo mundo já sabe como é.
Não é estranho pensar que a gente veio de dentro de um corpo? Vagando numa bolha de tecidos e liquido nogento? A gente viu como é lá dentro. No nosso arquivo interno tem um video com isso tudo. Com tudo o que a gente viu por dentro de um corpo. Mas estando dentro de um liquido espesso, a gente poderia enxergar alguma coisa? Imagino que quando se está dentro de um corpo, toda essa umidade quente deve ser agradável e confortante, mas e depois? Será que demora pra se acostumar a se estar seco dentro de quilos de tecidos e lãs incomodando, pinicando, invadindo... Quanto tempo demora pra se desacostumar totalmente com umidade?
tem pessoas que são mais úmidas que as outras. As bactérias se desenvolvem na umidade. os fungos... Será que essas pessoas tem mais bactérias e fungos? Tem partes das pessoas que eu tento evitar tocar, e tem ocasiões em que eu tento não tocar em nada, assim como nos momentos em que estou desesperada pra me livrar da água do banho e me secar totalmente. Eu tento não encostar em nada. É meio desesperador pra falar a verdade.
Quer saber? Eu preciso mesmo é ir dormir. A obra começa amanhã... Tomara que eu aguente...

25 novembro 2008

Praquela lah!

A coisa que eu mais lembro da doença da minha mãe, é um dia em que eu cheguei do Rio, da saga da venda do apartamento, e ela estava sentada na beirinha da cadeira me esperando, antes das 7 da manhã. Eu vi que ela já tinha morrido ali. Ela tinha perdido todos os quilos possíveis naquele espaço de tempo. Ela ficou velha pra mim ali. Ficou morta pra mim ali. Tão frágil minha mãezinha que sempre tinha sido tão, tão forte... A mãe que me apavorou a vida toda. Que me dominou, e me maltratou de todo jeito, mas que eu gostava tanto, porque era só eu e ela. Nem minha irmã esteve junto naqueles anos todos, porque ela e minha mãe tiveram uma história delas mesmas onde eu não pude entrar... Eu não queria de jeito nenhum ver ela daquela maneira, nunca. Minha mãe me ensinou uma coisa que se eu não tivesse aprendido com ela naquela época, estaria aprendendo agora, de uma maneira muito diferente.
Eu sou forte. Muito. Eu vivo com medo sim, mas não o medo das pessoas comuns. Meus medos, nas pessoas comuns, seriam devastadores. Eu os enfrento todo dia, com as bençãos da minha mãe, que me apavorou a vida inteira. As coisas que eu agüentei ao longo da vida, me provaram que ela foi a professora mais certa pra mim, pra me dar suporte pra tudo o que estaria por vir. Eu sempre quase morro... Eu quase morri várias vezes, de várias maneiras. Algumas por idiotice, outras por vontade, e outras porque às vezes a vida mata a gente.
Se ela estivesse viva, eu não saberia enfrentar nada a não ser a ela mesma. Ela tinha que morrer. Era hora dela e a minha. Eu não tive paciência suficiente sabe. Isso me assombra às vezes. Não dá pra evitar.
Na hora em que se perde uma pessoa, a tristeza é tão grande. A solidão, e disso eu entendo muito bem, é tão assombrosa! Eu gosto de usar palavras assim: assombrosa, assustadora! Porque tudo no mundo é assim pra mim! Quando as pessoas nos deixam, a solidão é tão assustadora, que nos impede de pensar com clareza. Eu gosto de chorar pelas pessoas que eu perdi. Não agora. Gostei de chorar por cada uma delas, pelo que elas me deixaram. Ainda que algumas dessas pessoas sejam grandes poços de mediocridade, elas sempre deixam algo bom. Deixaram.
Eu não acredito que ainda estou viva sabe. Isso é uma coisa totalmente fora do que eu esperava pra mim mesma. Era assim que eu era quando criança. Eu sonhava em ser igualzinha a Christiane F... Acho que eu consegui... Era um sonho torto, mas era uma vida torta também. Acho que eu era meio Sybill. Era várias pessoas em uma só. E ainda é assim que é. Eu tenho tentado de todo jeito entender. Tentar entender é uma coisa que vai estar sempre comigo, e vai ser sempre uma parte de mim.
Eu tenho que admitir. Eu sou muito diferente das pessoas, e ainda que eu tente passar despercebida, tente imitar, estar no mesmo level, nunca vai acontecer. Estar sozinha é sim a resposta pra tudo. Sabe de uma coisa? Eu faço coisas, digo coisas, penso e sinto coisas, que os cidadãos “normais”, não teriam nem coragem de cogitar.
Sabe de outra coisa? Isso deve ser motivo de inveja pra todos eles...
Eu sou crente. Deus sou eu. Eu sou o meu próprio messias, que me sacrifiquei pra tirar os meus pecados do mundo, mas eu não acredito em pecados. Então, o messias aqui ficou sem serviço. Quando vc falou em Deus, eu me assustei, porque algumas pessoas não têm muita coragem de falar de Deus assim, e eu tô cansada de rebeldia gratuita adolescente. Eu fiquei feliz. Ter fé mudou tudo pra mim.
Tô sempre falando que faria tudo de novo. Faria mesmo. Disso eu não tenho medo. De ter passado tudo o que passei, e que me tornaram o que eu sou hoje. Eu sou o orgulho de Deus, eu acho, porque dou ao meu cérebro a utilidade que ele sempre teve. Eu uso minha cabeça pra duvidar e pra pensar, e eu acho que quando Ele olha pra mim lá de cima, ele diz: A Eric entendeu o que eu quis quando fiz aqueles cérebros! Mas eu acho que ele pensa isso de poucos. Mas ainda bem que eu estou perto de alguns desses poucos. Eu acredito de verdade que Ele pensa o mesmo de vc, e quando nós estamos juntas, Ele deve dar boas risadas de satisfação da gente. Ele lê meu blog, e lê o seu tb!!! rs*
Tem coisas que eu entendo bem. Ainda bem.

Eric

24 novembro 2008

A minha cabeça, eu tenho que dizer, é privilegiada. Pelo menos eu acho. Tirando as milhares de coisas que eu não entendo, as que eu consigo entender entendo profundamente, de uma maneira até mesmo assustadora para os menos preparados. Entender as pessoas é difícil, ou até mesmo, quase impossível, mas quando se consegue chegar ao fundo da compreensão da mente de uma pessoa, é assustador. De verdade.
Ocasionalmente consigo entender algumas pessoas, ma as mais simples, as que funcionam por conta própria, como se estivessem soltas no mundo, sem profundidade, sem a prisão dos pensamentos, essas me são totalmente estranhas. Parece que quanto mais simples as mentes, mais complexas elas são.
Talvez seja assim mesmo que tenha que ser. A simplicidade deve ser o fim da linha, e não o meio. Alcançar paz de espírito, que deve ser mais importante que salário, casamento, felicidade e vida, deve ser o fim do caminho que chega a simplicidade. O não pensar, o não perceber. Quanto mais se percebe do mundo, menos paz se tem.
A minha mkente trabalha contra mim. Totalmente contra mim. Quando eu espero que as coisas se acertem e comecem a funcionar normalmente, ela se torce. É como se ela se alargasse e ficasse fina. Se esticasse toda, e tudo ficasse estranho. Mais estranho do que já é. Eu sinto as coisas de um jeito diferente. Apavorante. Totalmente assustador, como se de repente eu fosse jogada pra outro mundo, e tudo pudesse acontecer lá. Isso acontece de várias maneiras. As vezes ataques de pânico, as vezes crises horríveis de depressão, mas na maioria das vezes minha percepção de tudo fica estranha e alterada. Como se já não fosse uma coisa horrível sentir medo o dia todo, todos os dias. Depois que se tem a primeira crise de pânico, elas não te deixam nunca mais, ou pelo menos, nunca me deixaram. Estão lá, escondidas, como se estivessem observando por uma fresta, e quando eu finalmente abaixo a guarda, pronto, elas vem atrás de mim e me consomem. As pessoas não imaginam o que deixam pra trás quando saem daqui e me deixam sozinha. Mas eu agüento. Sempre agüento. Eu enfrento meus medos.
A maioria das pessoas não entende nada disso. Não importa o quanto sejam esclarecidas ou inteligentes, elas não conseguem alcançar o que passa na cabeça dos outros. A variedade, o monte de sentimentos estranhos que passam pela cabeça de cada um. Vontades, desejos, e as coisas secretas, que ficam escondidas no fundo, mas que existem lá, naquele plano que a gente tenta ignorar. Os medos, a angústia particular inside. Infelizmente a maioria só enxerga o que se passa dentro delas próprias, sem se interessar no conjunto de tudo o que vivemos a cada dia. As pessoas só olham pra uma direção, e perdem todo o resto à volta delas. Vai saber? Vai ver que é assim que as coisas devem ser. Mesmo!
Acho que todo mundo no mundo quer achar uma alma gêmea. Geralmente esse desejo se traduz num grande amor. Mas achar uma pessoa que entenda a outra, que queira as mesmas coisas, seja em que plano de relacionamento for, já é achar um grande amor. Na maioria das pessoas, esse grande amor é um grande amor romântico, e vou dizer uma coisa. Não há nada mais chato do que um amor romântico quando não se está envolvido nele, e geralmente eu não estou envolvida nele!! Mas eu sempre me confundo. Eu não tive grandes amores. Nunca, nunca!! O único que conto como um grande amor, foi o primeiro da infância, quando ele ainda era o que ele era antes de ser o que é hoje, essa pessoa estranha. Antes, no passado distante da juventude, ele era uma pessoa viciada e incrivelmente triste, devastada. Inteligente e vazia ao mesmo tempo, e claro, totalmente parecida comigo. Foi meu grande amor! Meu grande amor foi uma pessoa como eu, incrivelmente parecida comigo, mas com mais força! Eu estava buscando a mim mesma!
Os outros foram os pequenos amores... Os que eu tentei amar de todo jeito pra não me sentir tão sozinha, pra sentir que tinha alguem comigo, pra achar que podia ser normal que nem todas as outras pessoas, porque elas viam que tinha alguma coisa errada comigo, mas eu mesma nunca consegui chegar lá... Não consigo sentir aquilo tudo, e fico mentindo pra mim, e mentindo pros outros. Fico tentando disfarçar, e no final, não consigo devolver o que me dão. No final, eu queria que as pessoas morressem e desaparecessem, e me deixassem em paz sozinha.
Existe uma explicação altamente lógica pra eu não gostar de ter nenhum tipo de contato com pessoas do passado, tirando algumas pouquíssimas. Eu não gosto de lembrar dessas fases de imitação e desespero, e tentativas frustradas de aparentar uma normalidade que não existe em mim, pelo menos, não nesse ponto.
Eu nunca me sinto a vontade. Estou sempre me sentindo como se estivesse em frente a uma platéia gigante que está me analisando e me julgando, me olhando, até mesmo quando estou sozinha, apesar de que nessas situações melhora um pouco. É como se eu nunca estivesse totalmente sozinha. Nunca, nunca.
As pessoas buscam no grande amor a intimidade de se sentirem a vontade mesmo quando estão junto de uma pessoa. Eu não consigo entender isso! Sempre que estou do lado de alguém, morando com alguém, seja lá quem for, família, amigos, namorado, namorada, é como se aquela platéia estivesse em volta. Eu fico o tempo todo fingindo. Sempre fingindo que gosto de contato e convivência, como se tudo isso fosse a coisa mais normal do mundo. Mas pra mim não é.
Eu até entendo essa busca por intimidade, na realidade. É duro ser sozinho, mas não esse desespero de ter alguém do lado 24 horas por dia! As pessoas buscam isso, fazem de tudo!
Quando eu era pequena e meu pai foi embora, eu me senti triste, e chorei, e todo aquele stress, apenas pra descobrir em pouco tempo que com a ida dele, o vazio da presença deixava mais espaço pra mim mesma! Outra Andréa, outras Andréas, outras coisas e outras vivências, e eu entendi que quando as pessoas vão embora, elas deixam espaços pra trás. Nesses espaços, eu tento me sentir a vontade. Eu os preencho, quase não sinto falta das pessoas que foram.
Todo mundo costuma me dizer o quanto eu fui heróica e desprendida durante a doença da minha mãe e sua morte. A verdade? Foi um grande alívio. Não por nada. Eu gostava dela, mas não o suficiente pra passar o resto da minha frágil e curta vida ao lado dela. A solidão é sempre a resposta.
Eu não quero ter que ver as pessoas, ou falar com elas sempre. Eu gostaria de poder só observar. Só observar um pouco as pessoas que eu gosto, e entender como é que elas vivem desse jeito, com pessoas em volta e toques, e doces angustias diárias, desligadas do grande mundo em volta, em busca do grande amor. Sempre tentando, sem desistir nunca, por mais que digam que desistiram. Eu queria tanto entender porque comigo as coisas são tão diferentes! Não queria mudar não. Nada! Eu só queria compreender onde as coisas ficaram confusas comigo. Onde eu perdi o prazer de estar do lado das pessoas, apesar de achar que sempre foi assim... Onde eu perdi o interesse no comum, no cotidiano, apesar de poder jurar que nunca me interessei mesmo por nada. Tudo, e nada no mundo me chamam a atenção. Tudo de uma maneira dolorida, cada pessoa e cada cachorro, e cada célula, e nada de ninguém, as vezes nem de mim mesma...
Mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, mania, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, depressão, , mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, mania, depressão, depressão, depressão!
SOBRE O SEXO
Eu não gosto de sexo. Na verdade nunca gostei. Não gostei nem mesmo nos melhores momentos, ou quando deram tudo de si por mim. Quando eu comecei foi pela experiência inesperada de ter tanto contato com alguém estranho, e desde o início a curiosidade levou a melhor, e eu percebi também que o sexo poderia ser uma boa moeda de troca.
Eu não acho errado fazer sexo. Só acho incrivelmente chato e não entendo que as pessoas gostem tanto!!
Se eu não posso ganhar o troféu de Deusa do Sexo, a de melhor atriz com certeza eu ganho. Não posso dizer que a culpa é dos parceiros, pois na maioria, eles bem que se esforçavam. Esforçavam-se muito até! Com o tempo aprendi a distinguir os melhores dos piores, mas sinceramente, não foi nunca uma questão de o parceiro ser bom ou mau. Sempre foi o fato de eu não achar graça em nada disso.
Ninguém pode dizer que eu não tenho coração. É que ele não bate da maneira como o da maioria!
Ao fingir que amava a incompreensível arte de fazer sexo, era apenas pra agradar o par. Não custa nada fazer as pessoas felizes. Eu de fato posso dizer que fiz várias, pelo menos nas ocasiões em que estava disposta a atuar.
Quanto ao ato em si, é uma grande violência. Totalmente desgusting! Tantos fluidos e bocas e situações nojentas! É uma grande humilhação que a raça humana precise se aliviar dessa maneira horrível. O ato sexual é a vitória dos instintos primitivos sobre o intelecto, mas claro, essa é a MINHA opinião...
Isso não significa que eu tenha odiado todas as vezes. De fato me diverti em algumas e posso dizer que gostei de outras, mas não sei dizer se gostei da maneira apropriada ou não. Quando gostei, não foi pelo lindo sentimento envolvido no ato, ou pelas ondas de prazer que me tomaram no momento, ou pelo gozo que nunca chegou.
É que a mecânica de tudo isso é totalmente fascinante! O início, a troca, a técnica, o ato, e depois, a felicidade estampada. As reações finais são ótimas também! A parte boa do sexo é que estar tão perto de uma pessoa nessa hora torna possível a observação in loco! Se não fosse por isso, por esses momentos mágicos de observação, seria impossível alcançar a perfeição na imitação.
Não por maldade, sério mesmo. Aqui tenho que fazer um mea culpa... Eu fingi todas, todas as vezes, mas com a melhor das intenções... Não se trata de ser bem comida, ou não ser. Trata-se de eu não gostar do ato. E todas as vezes em que cheguei a achar que poderia mesmo suportar, tinham outras coisas envolvidas ali. Não sentimento, nem toque, ou química. Era outra coisa.
Eu sinto demais. Ninguém pode me chamar de insensível. Não tenho problemas em sentir coisas. Muito pelo contrário! Gosto de situações bizarras onde eu possa sentir, acompanhar e entender os sentimentos das pessoas. Me colocar no lugar delas até me sentir como elas, sentir o que elas sentem.
Eu sou depressiva desde que me entendo por gente. Acredito que depressão também pode ser traduzida como “sentimentos a flor da pele”. Viver é uma grande agressão pra mim, pois envolve uma loucura de sentimentos gigantescos, e tristezas sobrenaturais e sem fim, não apenas minhas, mas de todas as pessoas à volta, e eu trago isso tudo que é dos outros pra casa, pra minha solidão, pra poder sentir isso aqui, sozinha, e viver um pouco aquelas coisas. Louco não? Tirando alguns momentos em que sofrer se torna insustentável, na maioria do tempo creio que aprendi a disfarçar muito bem o que sinto, ou quase... Acho que posso aparentar frieza frente a quase qualquer situação, mas se alguém quiser saber um segredo, nessas horas, eu abro muito os olhos. É como um registro numa fonte. É possível diminuir o fluxo, fechar, deixar correr. É totalmente possível se enquadrar.
Eu sofro com as dores alheias, as levo comigo, guardo no fundo, junto com as minhas. Misturo, recrio, observo, e posso sentir junto das pessoas a dor que elas sentem, quase tão bem quanto sinto as minhas. E eu sinto! Eu sinto cada coisa, e mudança e penso, e quanto mais eu penso, mais eu sinto, e parece que menos entendo o sentimento...
Isso me leva de volta ao sexo. Não é que eu não sinto nada. É que eu sinto errado. O que eu sinto não é bom. É quase como tomar um remédio amargo. É ruim, mas se não tiver outra alternativa eu posso agüentar.

17 novembro 2008

Eu não posso crer que escrevi mais de uma hora e essa merda simplesmente se apagou!!!

09 novembro 2008

Finalmente a semana acabou. Final de mandato é muito estressante no serviço público, mas eu não posso nem devo reclamar. Mais pra frente vou fazer comentários mais contundentes sobre pessoas que ficam a meu lado no trampo.
Hoje acordei cedo e fui numa loja d materiais de construção ver preço de pisos e janelas. A febre da reforma tomou conta de mim agora. Por quanto tempo? É preciso ter paciência pra fazer essas coisas, e minha atenção é desviada logo...
Tá passando o dia do chacal e eu vou lá assistir, ou pelo menos tentar...
O GRANDE DIA CHEGOU!!!!
FINALMENTE O RECONHECIMENTO!!!!

shantall diz:
digamos que eu podia ser melhor
mas se eu fosse melhor eu naum seria eu, eu seria vc
uhauhauhauhuah
auhauhuah

02 novembro 2008

Consegui a façanha sensacional de dormir aproximadamente 18 horas, com apenas um intervalo na madrugada de ontem pra hoje!! Demais mesmo!! Em compensação, fiquei praticamente aleijada desde a hora em qua acordei, por volta das 4 da tarde, toda dura e com dor nas costas de tanto ficar deitada. Estou decidida a investir num colchão decente com o meu acerto. Essa grande idiotice, dedormir 18 horas, me fez ficar acordada até essas horas, e já varri, lavei roupa, lavei toda a louça de uma semana que estava em cima da pia, ainda com a jarra cheia de limões da caipirinha do Molan... Bom, só num arranquei nada de detro dos armários porque se eu além de tudo ainda tivesse uma crise alérgica seria o fim!

Ah, falando em sono vou postar um negócio aqui que eu achei em outro blog! uhauhahua Tem muito a ver comigo, porque tem dias no trampo em que eu simplesmente queria me enfiar debaixo da mesa, apoiar a cabeça no no break do meu computador e ter lindos sonhos... Lindos, lindos sonhos...
*****


Confira as dicas de como dormir no trabalho contidas nas imagens e imagine a cena.

Imagem 1 - O Truque dos Cadarços Desamarrados: No escritório, coloque a cabeça na mesa, a cadeira ligeiramente para trás, estique os braços e em cada mão agarre uma ponta do cadarço. O chefe irá pensar que você está amarrando os sapatos, mesmo que o procedimento dure cerca de duas horinhas.

Imagem 2 - Problemas Intestinais: Uma boa forma de tirar uma pestana no ambiente do trabalho é usar o banheiro. Mas nem sempre nos ensinam boas técnicas para isso. Essa consiste em um detalhado processo de posicionamento corporal, para sua segurança e conforto. Posicione um rolo de papel higiênico em cima da descarga para evitar torcicolos e coloque uma perna na porta, para evitar visitas inesperadas.

Imagem 3 - Sono Baixo: Uma boa dica para quem possui mesas grandes é dormir embaixo delas. Não requer muito trabalho ou experiência. Mas você deve ter certos cuidados: Tape a visão panorâmica da sua mesa, deixe seu casaco no encosto da cadeira para auxiliar nesse quesito; não se movimento muito, para não ocasionar ruídos em outros cubículos; e traga uma almofada/travesseiro de casa, para melhor aproveitamento.

Imagem 4 - Concentração Extrema: Uma das mais simples, e mais efetivas, formas de dormir no trabalho. Imprima algumas folhas importantes e junte-as em uma pilha na sua frente. Com uma mão tape seus olhos, deixando apenas o espaço para ver o conteúdo das folhas e com a outra as segure. Importante: Troque de folha a cada 15~20 minutos.
*****
Voltando...

Acordei, me vesti, e fui no sol até a casa d Rubizzz, que aliás, é do outro lado da cidade, literalmente! Ficamos um tempo lá vendo tv, até o DG ligar e dizer que estava vindo pra minha casa, e corrigir a rota e ir até lá na casa da Rubizz. Ele e o Renatinho como sempre. Fizemos um programa familiar do tipo: esfihas do liban, Sol shot, e truco, até umas certas horas. Nem sinal de ataque de pânico por enquanto, o que eu considero uma boa coisa!

Tinha combinado algo com o Daniel Papel, mas não lembro o que, e de qualquer maneira, não deu certo, porque a gente nem se falou hoje.

Sabe quando tem alguma tensão estranha no ar? Tem alguma coisa estranha acontecendo por aqui, tipo, entre a Rubiz, o DG, o Renato e eu, tipo como se alguem quisesse falar alguma coisa e não falasse, as que todo mundo sente que ela deveria falar logo. Talvez essa pessoa seja eu... Tô meio sem paciência, de mau humor, com raiva, totalmente sem paciência mesmo, e sem saco, e sem vontade de aturar nada que me deixe irritaqda, como por exemplo: PESSOAS QUE FALAM ALTO DEMAIS E SÓ ABREM A BOCA PRA FALAR SANDICES SEM SENTIDO!!!!! Mais ou menos o que eu tava falando sobre ter pessoas pra poder filosofar e não ter que ouvir sobre todas as fitas de droga da cidade intira, desde os conhecidos mais próximos até os desconhecidos mais distantes... é um saco isso!

Eu sou um bicho do mato mesmo! As vezes eu trato as pessoas mal... Mas elas não precisam aturar isso!! Porque é que elas aturam heim? Porque não me mandam ir tomar no cu pra que eu me sinta ultrajada e não somem? Ou então não me batem, ou então não me beijam??? Porque é que elas não azem alguma coisa diferente em vez de me deixarem fazer e dizer as coisas mais absurdas? E depois ainda reclamam que eu sou mimada...


*****

Pra quem acha que a Shiva não é a gata mais gata do espaço sideral, olha só que fofa, dada, simpática, e carinhosa!


video

01 novembro 2008

Ah é! Esqueci de falar! Minha mãe morreu a 9 anos atrás, nesse mesmo dia. =[
A semana foi bizarra. Foi ponto facultativo na segunda, e feriado na terça, o que significa que eu trabalhei, lógico. Fez um calor absolutamente insano, anormal e imoral, o que fez com que os três ultimos dias da semana, que deveriam passar bem rápido, se arrastassem, e durassem aproximadamente 6 dias...
Porém... Coisas boas também aconteceram. Por exemplo: Assinei os papéis para mudar de cargo, e fiquei feliz com isso, pois significa que vou ganhar um pouquinho mais. Pouquinho mesmo, mas mesmo assim é uma vitória. No entanto o trabalho que eu vou fazer é o mesmo, o que também significa que eu estou numa barreira profissional, não que ser funcionária pública seja profissão, mas até que é divertido as vezes, e ganho a vida fazendo isso.
Não gosto de trabalhar com público. Gosto de trabalhar trancada numa sala sozinha e sem ver ninguém, como se isso fosse possível... É um impasse! Eu não sei com o que eu gostaria de trabalhar. Mas deve ser uma coisa que eu possa fazer sozinha e trancada numa sala fresca e não muito iluminada. Meu chefe deve falar baixo, porque pra mim, cara que grita ta querendo dar a bunda e não tem coragem de falar isso aos quatro ventos, então fica histérico, enchendo o saco e berrando com as pessoas.
Um passo de cada vez. Por enquanto tô muitissimo feliz de saber que de alguma mneira minha situação trabalhista melhorou muito, graças apenas ao meu esforço, e a tudo o que eu mostrei!
Essa semana tive um ataque de pânico forte e rápido de madrugada, o que me deixou levemente apavorada. Num tinha isso a tempos, e sabe como é, a gente acha que nunca vai ter de novo, mas sempre acaba tendo. Num tinha ninguem pra ligar, nem ninguém no quarto ao lado pra eu acordar e segurar minha mão e me deixar menos apavorada. Nessas situações a primeira coisa que eu faço é me vistir. Fico pronta pra chamar a ambulância no caso de eu realmente ter um daqueles que me mandam pro hospital meio morta sem saber o motivo. Tenho um pânico secreto de ficar dias e dias morta em casa sem ninguém perceber, e com o tempo meus cachorros também morram de fome, e ai quando as pessoas realmente sentirem minha falta, ou porque eu já tô a dias sem aparecer no trabalho, ou meus "amigos" precisarem de alguma coisa que eu posso fazer por eles, eles me descubram meio podre, com fluidos secos em volta do meu corpo, e a Dolores mortinha de fome e tristeza ao meu lado.
Aliás, essa é minha mais nova paranóia. Meu tempo tá acabando. Eu tô morrendo. Eu não costumo ter dons divinatórios, mas tem gente que nunca teve e de repente tem, ué! E se essa sensação não for maluquice da minha cabeça? As coisas acontecem seguindo uma certa ordem, e vão acontecendo da maneira certinha que minha cabeça diz que vão acontecer, pra preparar tudo pro meu fim, que não deve demorar muito, talvez chegue no primeiro trimestre do ano que vem, no máximo no começo do segundo. Se eu estiver errada, talvez eu nem chegue até o ano que vem. Então, passo o tempo inteiro pensando: falta pouco agora, tenho que aproveitar. Mas a realidade é que não aproveito. Minha vida continua massante. Continua igual e entediante, com sonhos medíocres, desejos impossíveis, sonhos impossíveis e desejos medíocres e todas aquelas coisas de sempre, sempre e sempre...
*
Nessa semana eu e a Carmen fomos num velório do pai de um rapaz que trabalha com a gente, e pra virar lenda urbana de uma vez, o safado do Ademir, de propósito, levou a gente no velório errado! 0.o A Carmen como uma profissional do velório já meteu a mão no defunto e fez uma oração, sinal da cruz. Eu fiquei com aquela cara de velório mesmo, e logo na sequência ele nos levou pra outro velório numa sala ao lado, que era o certo, mas eu não sabia disso, claro! E já olhei pro morto achando que ele tava bem acabadinnho mesmo. Ainda bem que eu não falei isso pra ninguem, senão seria foda! Nos ultimos dois dias todo mundo vira pra gente e pergunta se vamos ou não vamos no velório do fulano ou do siclano, mas pra não errarmos o velório! Dei risada depois, mas na hora queria arrancar o defunto dali e enfiar o Ademir lá dentro, que morreu de dar risada da nossa cara o tempo todo!
Demorei semanas e semanas pra ler um livro do tipo simples que a Luzia me emprestou. Um livro insignificante em relação a tamanho, mas mesmo assim demorei horrores, mas quando me entusiasmei pelo livro de verdade, simplesmente acabei ele em meia hora... Agora tô sem um livro realmente interessante praler! =[ Não que esse que eu li seja a coisa mais interessante do mundo. Era O Diário de Bridget Jones, o que me alertou que eu tenho mais de 30 e que não tenho parceiro fixo, e que não vou casar e muito menos ter filhos. Não que eu quisesse, mesmo porque tenho pânico só de pensar em uma pessoa enfiada na minha casa. Teria que ser um verdadeiro amor daqueles da Cinderella, e infelizmente eu não acho que possa amar tanto alguém, porque eu prefiro gastar meu tempo pensando em coisas mais interessantes, como por exemplo, EU MESMA! =D
É que nem ter filho. Como é que eu posso imaginar em gastar grana comprando brinquedos pra um ser em vez de comprar brinquedos realmente interessantes pra mim mesma???????? Ocasionalmente algum cego idiota me pergunta quando vou casar, o que, olhando pra mim, qualquer animal perceberia ser impossivel isso acontecer, pelo menos por enquanto. Mas como solteiraq eu não deveria estar levando uma vida super emocionante e estimulante? Indo a lugares legais, com amigos intelectuais, que eu deveria ter! Eu deveria ter amigos legais e intelectuais com quem eu poderia conversar qquer tipo de coisa que passe pela minha cabeça. Só que eu encontro problemas nesse quesito... A maioria dos meus amigos não é assim tão intelectual, e os temas que eu acho realmente que deveria desenvolver, ficam em segundo lugar pros romances da internet, as menininhas do orkut, o preço da maconha, a dificuldade de se achar drogas, as atividades de todos os viciados de Jaú (como se eu, que penso em voltar a usar drogas pelo menos 57 vezes por dia e fio lutando o tempo todo pra não usar, precisasse saber disso), e os problemas amorosos de cada um! Os poucos que realmente poderiam ser muito interessantes são: intimidantes demais, casados com mulheres ou homens mediocres (que me dão nojo só de pensar e me fazem achar que todo ser humano realmente inteligente tem algum problema com sua inteligência emocional), estão presos em algum lugar distante de mim (o que impossibilita qualquer tentativa de proximidade e programas culturais divertidos), querem ficar falando sacanagem pela internet, o que sinceramente, num dá, porque só de pensar em bucetinha molhadinha e pau duro pingando de tesão, já faz meu estômago dar mil e uma voltas! Pô, num consigo nem apertar a mão da maioria das pessoas sem fazer aquela cara de quem tá chupando um limão e correr discretamente pra lavar! Será que as pessoas simplesmente não entendem nada????? Quando eu falo que não curto contato, já é pensando na economia de explicações posteriores, mas não adianta... ai, ai... As pessoas, de fato, não entendem nada mesmo....

26 outubro 2008

Quem me conhece um pouco, sabe que eu tenho intensa admiração pelo assunto Serial Killers. Não exatamente os assassinos me intrigam, mas as mentes, sabe? A gente vive numa sociedade doidona desde tempos imemoriais, e atirar os cristãos aos leões just for fun, nunca pareceu uma coisa tão horrivel. Aliás, agora parece horrivel, mas a gente continua fazendo outros tipos de brutalidades, mas agora é pra favorecer a lei, como por exemplo... tchanam nam!! A Cadeira Elééétricaaaa!!! A cadeira elétrica, que chegou na civilização pra dar medo nos bandidos mais bandidos, na verdade, não adiantou muito, e hoje virou uma coisa meio... just for fun! Ele matou, mas a gente mata ele também, certo?

O que eu gostaria de entender é se nós, na verdade, somos mansos como cordeiros, e com o tempo estamos virando bichos animais, que matam, esfolam, roubam, mentem, invejam, criticam, dividem, perseguem, comem, torturam, ou se a partir do nascimento, passamos por um programa de "aperfeiçoamento" que nos faz ficar mais mansos, ou pelo menos que faça com que consigamos fingir que somos bons o resto da nossa entediante vida.

Eu sinto inveja, e queria matar uns e outros. Mas não apenas matar. Queria também torturar, e sentir prazer na dor alheia, humilhar, espezinhar, detonar, esmirilhar, e etc, etc...

Agora, a pergunta que não quer calar é: Eu sou doida porque quero isso, ou só sou mais sincera do que a média que está sempre seguindo aqueles padrõs pre determinados e blá bá blá? Eu me sinto sincera confessando que invejo, e que tenho ódio, muito ódio. E uma raiva constante que não passa nunca, por mais que eu esteja de bem com a vida. Vai entender...

à uns tempos atras recebi esse e-mail, e resolvi postar aqui. São dicas ótima pra não ser assassinado de surpresa, ou então pra assassinar alguem de surpresa. Quem ler usa como quiser.





1.. Se um dia você for jogado dentro do porta-malas de um carro, chute os faróis traseiros até que eles saiam para fora. Estique seu braço pelos buracos e comece a gesticular feito doido. O motorista não verá você, mas todo mundo verá. Isto já salvou muitas vidas.
2. Os três motivos pelos quais as mulheres são alvos fáceis para atos de violência são:

a) - Falta de estar consciente.-Você TEM que estar consciente de onde você está e do que está acontecendo em volta de você.

b) - Linguagem do corpo.-Mantenha sua cabeça erguida,-Balance seus braços, e permaneça em posição ereta.

c) - Lugar errado, hora errada.-NÃO ande sozinha em ruas estreitas, nem dirija em bairros mal-afamados à noite.
As mulheres têm a tendência de entrar em seus carros depois de fazerem compras, refeições, ou depois do trabalho, e sentarem-se no carro (fazendo anotações em seus talões de cheques, ou escrevendo alguma lista etc.) NÃO FAÇA ISSO! O bandido estará observando você, e essa é a oportunidade perfeita para ele entrar pelo lado do passageiro, colocar uma arma na sua cabeça, e dizer a você onde ir. No momento em que você entrar em seu carro, tranque as portas e vá embora.
3.Algumas dicas acerca de entrar em seu carro num estacionamento ou numa garagem de estacionamento:
a) Esteja consciente: olhe ao redor, olhe dentro de seu carro, olhe no chão dianteiro e traseiro de seu carro, olhe no chão do lado do passageiro, e no banco de trás.
b) Se ao lado da porta do motorista do seu carro, estiver estacionada uma Van Grande, entre em seu carro pela porta do passageiro.
A maioria dos assassinos que matam em seqüência atacam suas vítimas empurrando-as/puxando-as para dentro das Vans deles na hora em que as mulheres estão tentando entrar em seus carros.
c) NUNCA deixe para procurar as chaves do seu carros, quando estiver parada em frente a porta dele.
Dirija-se ao veículo com a chave em punho, pronta para abrir a porta e dar a partida. Observe os carros ao lado do seu.
Se uma pessoa do sexo masculino estiver sentado sozinho no assento do carona do carro dele que FICA mais próximo do seu carro, você fará bem em voltar para o shopping, ou para o local de trabalho, e pedir a um guarda ou policial para acompanhar você até seu carro. É SEMPRE MELHOR ESTAR A SALVO DO QUE ESTAR ARREPENDIDO.
4. Use SEMPRE o elevador em vez das escadas.(Escadarias são lugares horríveis para se estar só, são o local perfeito para o crime).
5. Se o bandido estiver armado e você não estiver sob controle dele, SEMPRE CORRA! O bandido só acertará um alvo móvel 4 vezes em 100 tentativas.E, mesmo assim, muito provavelmente NÃO acertará um órgão vital.COOOOOOooooooooooRRRRRRRRRRRRA!
6. Como mulheres, estão sempre procurando ser condescendentes (prestativas): PARE COM ISSO! Essa característica poderá resultar em que você seja assassinada!
A). Ted Bundy, o assassino seqüencial, era um homem de boa aparência, tinha boa formação acadêmica, e SEMPRE explorava a simpatia e o espírito conciliador e condescendente das mulheres. Ele andava com uma bengala ou mancava, e conseqüentemente pedia 'ajuda'Dentro de seu carro ou para seu carro, e era então que ele raptava sua próxima vítima.

20 outubro 2008

O horário de verão acabou de começar e já tá me deixando meio doida. Eu preciso dormir, preciso dormir, preciso dormir!! E pior, preciso acordar também! Acontece que eu não consigo fazer nem uma coisa nem outra.
Po incrivel que pareça eu tô sentindo um certo prazr no trampo, como se fosse uma espécie de conquista pessoal ou algo do tipo. O que é uma grande idiotice. A gente trampa pela grana e só. Seja que trampo for. Trampar é chato, embora ocasionalmente possa ser até engraçado. Então né, continuando, tem esse prazer mórbido que eu tenho sentido por trabalhar.
Talvez eu esteja ficando adulta! Já não era sem tempo!

18 outubro 2008

HC3

Planet Hemp

Vou guiando pela cidade vou, quebrando os vidros
Sem sentido algum, ocultado pela fumaça
Que me leva mais longe que qualquer motor
Aumento a velocidade, eu vejo tudo mas ninguém me vê

Flashback! Agora eu sei. Tá na hora de acender, eu me precipitei
Milhas e milhas já viajei. Outros lugares acima do além

Sobe pra cabeça e antes que eu esqueça, enxergo coisas que você não vê
Sobe pra cabeça e antes que eu esqueça, enxergo coisas que você não vê

Vou guiando pela cidade vou, quebrando os vidros
Sem sentido algum, ocultado pela fumaça
Que me leva mais longe que qualquer motor
Aumento a velocidade, eu vejo tudo mas ninguém me vê


15 outubro 2008

Pô! Tá quente pra caralho mew! Quente pra caralho mesmo! Os dias tão claros. Dias de verão. Por um lado meu coraçãozinho atpe se alegra com dias bonitos e céu azul, mas por todos os outros lados... Ah vai tomar no cu! Puta calor. Gente suando, se encostando. E no ônibus? Que psadelo eterno é o ônibus pra uma pessoa que tem sindrome de pânico e aversão a contato!
Encostar nas pessoas é um negócio muito sério! Eu num me importo de rolar na terra por umas horas, mas os fluidos humanos são de amargar!!! Algumas pessoas de aparêwncia seca e suave me atraem. A Rubizzzz por exemplo. Sem pêlos, quase nada de suor. Branca, limpa e seca, como tudo devia ser. Seco.
E piscina? Pelo amor dos Deuses! De todos eles!! Pelo amor de todas as potestades celestes!! E piscina, cheia de gente junta??? Que que é isso!! Nem pensar. Aquela água que encosta em todo mundo e em você também! Encosta em tudo! TUDO!!! A água encosta até as entranhas mais profundas do corpo humano, e depois sai dali e vai tocar em você!! Em mim no caso, porque afinal de contas, tô falando mesmo é de mim!
Eu sei que é nóia, e eu não vou sair por ai com a Sharona do lado, limpando minha mão num lencinho. Mas não faço isso porque eu não posso, porque se pudesse... Na minha cabeça, se fosse possivel viver sem nenhum tipo de contato, tudo seria mais legal, mais fácil... e muito menos úmido...

12 outubro 2008







A Carmen, que é a mina que trampa comigo de manhã, que aliás é boa de dar raiva! uhauhauhau, diaz que tem dias que eu fico agitada, ligada na tomada, falo coisas ao mesmo tempo. São minha épocas de mania. Num adianta eu querer tentar manter um padrão, ou um meio termo, porque tô sempre no num pico emocional! Ou totalmente feliz da vida, ou totalmente infeliz da vida, ou totalmente apática, ou totalmente agitada fazendo mil coisas ao mesmo tempo!



As pssoas passam por tudo isso, mas de uma maneira mais branda. Todos menos a Shantall que coleciona vidro de plastico de shampoo, porque o vidro de shanpoo não é de vidro né? É de plástico! Ela também tem picos de agitação estranhos, mas ela é bem estranha de uma maneira geral...



Agora tô numa época legal mesmo, sabe. Tô confiante em conseguir dar uma melhorada no trampo, comprei o celular mais lindo do mundo e que agora é meu melhor amigo em todo o espaço sideral, e ainda comprei o play 2 do Renatinho, que ele me vendeu pra ir numa festa onde um tal de Ventania ia tocar, seja lá quem for esse sujeito.



E os bichos tão vivos e bem, e agora tô quase profissionalizada no meu mais novo hobby, que é o de criar aranhas caranguejeiras. Tô no início do início ainda, mas tô conhecendo o método e gente do meio. As aranhas são os bichos mais fofos do mundo, e podem ser cabeludas e encaracoladas, e elas podem ser azuis!!! As aranhas também podem ser azuis!!!!!



Imagina, que coisa diferente você nascer azul, no meio de toda a natureza bege, porque a gente é meio bege né? Não muito coloridos, só em meio tons... Acho que é por isso que gosto de preto, porque é um extremo de ausência de cor...



Mas voltando às aranhas azuis.... Tem também as que não são azuis! As vermelhas, e as rosas.... E elas são totalmente diferentes ums das outras, e tem lindos nomes compridos em latim! São lindas, lindas, lindas... =D



Eu tenho uma Vitalius Paranaensis, e o nome dela é Luiza, porque quem me deu foi o Luiz Pansieri!


Essa aí é a Luiza. Tá certo, eu sei que é uma fotinho safada, mas eu juro que amanhã vou fazer melhor! Eu juro por tudo mesmo!!!

Bom, acabou que não falei nada de mania e depressão, mas acho que o espirito é esse mesmo! =D

09 outubro 2008

Bom, se eu a e Rubizzzz fossemos macho boys, seria isso ai, ó....

24 setembro 2008

Uma coisa eu tenho que falar sobre mim mesma. Eu não sou legal. Não é que eu seja ruim, nada disso, não, não! É que eu não sou legal mesmo! Eu não faço questão de ser legal, boa, ou boazinha, ou até mesmo simpática. Também não significa que eu sou ruim. Isso também não. Acho que dá pra descrever mais ou menos assim: Eu não quero ser má, mas também não quero ser boa. Eu não quero ser boa nem má. Quero ser os dois. Enquanto ser humano “normal”, é claro que eu tenho que ter os dois lados da moeda dentro de mim. É isso que eu não entendo bem nas pessoas, essa questão que elas fazem de serem tão boas, legais, cândidas, fazerem o bem, mesmo que enquanto fazem o bem, pensem o mal. Porque vamos ser bem sinceros, quantas vezes a gente olha pra roupa de uma pessoa conhecida, e diz que está linda, enquanto por dentro estamos nos escangalhando de rir, pensando em como um ser pode ser tão sem noção pra usar uma coisa daquelas?? A gente é assim! Parecer bom é mais importante do que ser a gente mesmo. Sei lá. Eu não gosto de fazer maldades, mas também não gosto de fazer bondades. Não sinto nenhum prazer específico em fazer algo de bom pra alguém, a não ser que essa pessoa tenha algum vínculo comigo, e me faça feliz vê-la feliz. De resto, nem to ligando pra nada! Isso significa que quando eu estou fazendo alguma bondade pros outros, na verdade estou cagando e andando pra pessoa. Estou fazendo mesmo é por mim! Ser apenas bom ou apenas mau, na minha modesta opinião não faz parte de ser ser humano. Tudo, e eu quero dizer exatamente isso mesmo, TUDO! É composto de bem e mal, lado A e lado B, bonito e feio. Tudo tem um pouco de tudo. E se tudo tem um pouco de tudo, se tudo tem dois lados, porque diabos, alguém poderia me explicar, eu tenho que ser boazinha? Falar coisas boas? Fazer coisas boas? Desviar meu caminho pra ser legalzinha (e falsa) com alguém? Porque falando sério, tirando alguns autênticos, que são de uma maneira especial, bons de verdade, que são daquela maneira porque são assim mesmo e pronto, e não porque a cristandade ordena que devemos ser bons, dar a outra face, e outras sandices dessa natureza, nós, seres humanos, somos um grande lixo de maldade! E sabe o que é mais curioso? É que ser mau não é ruim! Ser mau é parte da gente, da nossa natureza, ainda que estejamos acostumados a esconder, controlar, maquiar essa parte nossa.
As pessoas têm vergonha de ser da maneira que realmente são, e acabam sempre sendo da maneira como devem ser, e acham errado que os outros ajam de maneira natural, ainda que isso signifique fingir que se é exatamente bom, ou cristão, ou “normal”. Existe um certo prazer em parecer bom, e altruísta, e ter um “coração de ouro”. Um prazer mórbido de agradar e ser admirável.
Eu prefiro ser do jeito que me deixe mais feliz. Minha consciência está desabilitada para certos recursos. Ocasionalmente as pessoas gostam de se fazer de vítimas, ou de bancar os coitadinhos... Tem uma coisa que todo mundo deveria saber: Eu não tenho pena. Não tenho dó. Eu gosto de fazer coisas estranhas. Nem ligo se ninguém entende, ou se ninguém aprova. Ou se as pessoas olham e pensam que provavelmente eu vou arder no fogo do inferno. E aqui é necessário caber outra observação. Eu não tenho medo. Eu pago o preço pelas coisas que faço, e fiz.
Quando eu falo que parei de usar drogas, que minha vida mudou por causa disso, sinto que todo mundo olha pra mim como se estivesse vendo alguém que encontrou o caminho do bem na reabilitação. Bom, detesto ser estraga prazeres, mas isso é uma grande mentira. Ao parar de usar drogas, eu não o fiz porque queria deixar de ser pecadora, porque queria que minha irmã ficasse feliz, ou porque queria dar um bom exemplo para os meus sobrinhos. Parei porque tive medo de morrer, e estava extremamente doente na época. Não assinei um contrato, ou compromisso, ou acordo. Fiz porque na época eu quis, e se um dia, qualquer dia, eu resolver que voltar a fumar pedra, vai ser legal, vou curtir, eu vou voltar. Sem medo, nem vergonha, nem culpa e muito menos peso na consciência. Como sempre, eu não fiz nem faço nada pensando na felicidade alheia. Faço o que quero, sem vínculos com padrões “normais”, ou pessoas da minha convivência, ou medo de não ser aceita ou amada. Foda-se o que os outros pensam. Foda-se os padrões cristãos e normais da sociedade. O mais legal nisso tudo, é que eu não vivo dentro de limites, normas, ou preconceitos que geralmente estão dentro da gente mesmo. As pessoas têm dificuldade de aceitar, mais do que a opinião alheia, a sua própria, de tão enraizadas que estão todas essas regras de convivência social.
Eu ando sim, à margem. E vixe, isso é legal! Não importa o que os outros digam. Quando as pessoas olham pra mim, elas podem criticar, ou desaprovar, mas lá dentro, no fundo mesmo, eu sei da inveja que as pessoas manipuladas sentem de quem faz exatamente o que quer.

18 setembro 2008


shantall status variabilis diz:
uhauauha c ia curtir o osni.. e ele ia adorar vc viu... era um doido que gostavva de gente doidda
Excentric Herself diz:
uhauhauhauha
num tem como explicar q eu num sou doida?
eh o mundo q num se encaixa em mim d jeito nenhum!!!
shantall status variabilis diz:
uhhahuhauhahuahauauha
meu, vc eh louca... e isso nem eh algo ruim
Excentric Herself diz:
eu sou uma chave de uma casa de chaves, mas eu perdi a casa, ficou soh a chave...
shantall status variabilis diz:
eu tinha uma casa de chaves que eu perdi as chaves, entaum eu quebrei a casa soh sobrou o telhadinho vermelho serve?
Excentric Herself diz:
uhauhauhaahu
pelo menos eu num pego chuva, e meu cabelo continua lindo! =D

01 setembro 2008


Olha a Shiva!!! Quem batizou foi o Lulu, o baterista ai de baixo...

26 agosto 2008

Ahn.... Eu não sei se entendo bem tudo o que acontece por aqui. Enquanto isso vou esperando né? Fazer o que? A Shantall diz que eu não sou desse planeta. Que eu sou estranha, tenho cadáveres em casa, coleciono serial killers... Ah, sou um pouquinho estranha sim. Mas nem tanto.... Tenho uma certa maldade no coração. Mas é maldadezinha, pequenininha inha inha, perto das maldades que as pessoas conseguem fazer por ai.
As vezes eu jogo uma praga, outras passo a perna numa criancinha pra ela cair, trato os outros mal, e falo cretinices, mas no geral até que sou bem legal! Vai... isso não faz de mim nenhum Ted Bundy! Mas se eu fosse ele...
Eu tenho pensamentos estranhos, como se eu vivesse numa casa fechada, onde nunca bate sol dentro. O meu mundo é meio escuro, cinzento e um pouco sinistro. Tá bem... é muito sinistro. Tem sangue e visceras. Tem plantas mortas, coisas se decompondo, cadáveres e caveirinhas pequenas de um povinho pequeno!
Mas também tem coisa boa sim! Tem asa de fada, e tem os duendes do quintal! Tem bicharada e quadros que a gente mesmo pinta.
Eu gosto de ser do jeito que eu sou, e gosto do meu mundo estranhinho....

24 agosto 2008

19 agosto 2008

É, o Cassio ainda não me matou. Mas nesse meio tempo tive uma faringite que me derrubou! Até faltei um dia do trabalho, mas fui no médico certinho. Fiquei fodida!
De resto é isso ai. Nenhuma novidade!

07 agosto 2008

Bom, tem uma coisa que eu tenho mesmo que falar! O Cassio vai me matar! Ele falou pra Rubizzzzz que pretende me matar assim que puder, porque ele tem sangue nos olhos quando pensa em mim!
Tá certo que eu sou mesmo inesquecivel, mas...
Bem, se eu tiver uma morte estranha e violenta, foi ele!
Engraçado que ele tambem tinha dito que ia matar a Rubizzz, mas acho que talvez devido ao tamanho dela ele tenha desistido! Sinal de que num tô impressionando ninguem! uhauhahu
Cinema em Bauru amanhã a noite!
A Biblia as vezes pode ser bem legal...
Meus dias se esgotam, meus
pensamentos se desvanecem,
atormentando meu coração.
Fazendo da noite dia, a luz da manhã
é para mim como trevas.
Deverei esperar? A região dos mortos é a minha
morada, preparo meu leito no
local tenebroso.
Disse ao sepulcro: “És meu pai”; e aos
vermes: “Vós sois minha mãe e minha irmã.”
Onde está, pois, minha esperança,
e quem entrevê minha fidelidade?
Descerão elas comigo à região dos mortos,
e nos afundaremos juntos na terra?
Jó 17:11-16
Regozija-te, ó rapaz, em tua mocidade; e que teu coração te alegre nos tempos de tua juventude; e segue os caminhos de teu coração e onde teus olhos enxergam; mas tem em mente que, por todas essas coisas, Deus há de te julgar.
ECLESIASTES 11:9

09 julho 2008




Como é que eu poderia explicar pras pessoas como as coisas funcionam na minha cabeça? E pra que eu faria isso? Ninguem vai entender nada mesmo...


Passei uma fase foda que começou a aproximadamente um mês atrás, e que ainda não acabou, mas esteve bem pior. Foi assustador. Talvez mais assustador do que naquela epoca inicial... Talvez não tão ruim, mas muito mais assustador. Acho que todo depressivo pensa em se matar pelo menos umas cem vezes ao longo da vida. Bem, eu não sou nada diferente. Geralmente as ações não encontram o pensamento, mas claro que isso sempre pode acontecer, e dessa vez, eu senti que ia acontecer, que era sério mesmo, e isso foi a coisa mais estranha do mundo. Eu não sei o que aconteceu na minha cabeça, como as coisas ficaram daquele jeito, mas foi ruim. Depois que melhorou e tudo se controlou na minha mente, veio uma grande prostração, e a certeza de que isso pode acontecer a qualquer momento, é só uma crise daquelas recomeçar. Depois de uma grande crise as coisas nunca mais são como antes. Tudo mudou agora. Eu não sei bem como as coisas podem melhorar, mas na minha cabeça simplesmente não vão melhorar, e quanto mais eu converso com as pessoas, ouço elas falando da vida delas e da certeza de que existe um mundo melhor atras da cortina, que sendo uma boa pessoa um grande deus vai trazer a recompensa, mais eu percebo que realmente nada vai mudar pra melhor. As pessoas se enganam tão facilmente, que chega a ser comovente... Não se tratam de coisas materiais, paz na terra, guerra na terra, vida após a morte, nada disso. É muito mais estranho do que tudo isso junto, e por mais que eu tente verbalizar isso tudo, não adianta. Eu não consigo.


Se alguma coisa me acontecer, queria que minha irmã entendesse. Pensei tanto nela nesses dias. Queria que ela entendesse que as escolhas que a gente faz, pra vida ou pra morte, são parte de todo esse processo que é estar tentando ficar melhor. Estar viva apenas pra agradar os outros, e viver numa agonia de sofrimento eterno é idiotice. Não me importa que as pessoas não entendam isso, mas ela eu queria que entendesse, porque é uma grande tristeza perder alguem que a gente ama, e ela é a única pessoa de quem eu tenho absoluta certeza o tempo todo. Ela está aqui comigo mesmo estando longe, e faz parte de mim também, e no dia que ela me deixar um pedaço de mim também se vai com ela. Um pedaço dela vai comigo quando eu finalmente desistir.

REBORN
STONE SOUR

I'm walking through your streets
I'm looking in your windows
I am elemental now
You'll never even know I'm there
I'm watching over you
I'm living in the shadows
I'm just a word to you
But I am very real
And cold...
Cold to all of this
Cold to how you feel
Cold to all your lose of reason

I AM EVERYTHING
I AM ANYTHING
I AM AUTOMATIC
I AM YESTERDAY
I AM EVERYDAY
I AM GONNA BE...

I'm all there is to know
I'm all that you've forgotten
I'am enigmatic now
You never even knew my name
I'm dressed tragedy
I'm by design immortal
I'm just the last one left
I'm always here and old...
Old and very strong
Old as all you feel
Old as all the world around you

I AM EVERYTHING
I AM ANYTHING
I AM AUTOMATIC
I AM YESTERDAY
I AM EVERYDAY
I AM GONNA BE...
REBORN (This is the start of something)
REBORN (This is the start of something)
REBORN (This is the start of something)
RE...BORN

I'm just a secret now
I'm just a vague illusion
I' a lie you tell yourself
That you never truly did believe
I'm a whisper in the dark
I'm a victim and the killer
I'm almost ready now
But you insist that I dont exist...
That I don't exist...
That I don't exist...
That I don't... EXIST

I AM EVERYTHING
I AM ANYTHING
I AM AUTOMATIC
I AM YESTERDAY
I AM EVERYDAY
I AM GONNA BE...
REBORN (This is the start of something)
REBORN (This is the start of something)
REBORN (This is the start of something)
RE...BORN

MOTHERFUCKER
MOTHERFUCKER
MOTHERFUCKER

29 junho 2008

Muito muito desanimada pra escrever alguma coisa que realmente valha a pena.
Tô só esperando o tempo passar e passar...

22 junho 2008

Freak on a Leash (feat Amy Lee)

Korn

Something takes a part of me
Something lost and never seen
Everytime I start to believe
Something's raped and taken from me... from me

Life's gotta always be messing with me.(You wanna see the light?)

Can't they chill and let me be free? (So do I)
Can't I take away all this pain. (You wanna see the light?)
I try to every night
All in vain... in vain.

Sometimes I cannot take this place
Sometimes it's my life I can't taste
Sometimes I cannot feel my face
You'll never see me fall from grace

Something takes a part of me.
You and I were meant to be.
A cheap...for me to lay.
Something takes a part of me.

Feeling like a freak on a leash. (You wanna see the light ?)
Feeling like I have no release. (So do I...)
How many times have I felt diseased? (You wanna see the light ?)
Nothing in my life is free... is free.

Sometimes I cannot take this place.
Sometimes it's my life I can't taste.
Sometimes I cannot feel my face.
You'll never see me fall from grace.

Something takes a part of me.
You and I were meant to be.
A cheap...for me to lay.
Something takes a part of me.

ooooooo oooooooo (Go!)

Something takes a part of me.
You and I were meant to be.
A cheap fuck for me to lay.
Something takes a part of me.
Part of me (x3)

21 junho 2008

Se tem uma coisa ruim que eu posso dizer sobre depressão, é que ela nunca mais vai embora, por mais que você ache que ela foi, ou por mais que você reaja a ela, ou por mais que você ache que a vida está sorrindo pra você. Ela sempre volta. E como estamos sempre desejando que ela nunca mais volte, sempre desejando que coisas boas aconteçam, e quando elas acontecem, fatalmente, nós baixamos a guarda, a depressão fica a espreita, pronta pra atacar de novo. E se tem uma verdade a ser dita sobre isso tudo, é que ela de fato, sempre volta.
A ultima semana já não foi aquelas coisas, e eu vi que ia piorar, e de fato piorou. Não que eu espere por isso. Sempre tô achando que agora mudou de vez, que tudo sempre vai melhorar.
Tô meio chateada com a Rubita, mas nada sério. Ela também tem os problemas dela, e eu não posso interferir. Tirando alguns leves conselhos, as coisas tem de ficar como estão e eu não posso fazer nada. Tive a capacidade de atrair a nova mulher dela, que fez o favor de me ligar e ficar falando idiotices pra mim no telefone. Minas são estranhas, e talvez por isso eu não goste de ter muito contato com elas. Isso me deixou muito irritada, e toda irritação sempre ajuda a piorar todo o resto.
E além disso tudo, ainda tem aqueles montes de sonhos secretos que se instalam nas nossas mentes e ficam por lá, mostrando como tudo pode ser chato, horrivel, imcompreensível. E quando comparamos tudo aquilo com a realidade, é muito duro crer que tenhamos que viver desse jeito, sabendo que tem milhares de coisas lá fora, que simplesmente nunca vamos ver, ou saber, ou presenciar, e que também existem milhões de coisas aqui dentro, que vão apenas ficar na imaginação. A gente simplesmente nunca vai chegar lá.
Viver é muito difícil. Eu sou inepta a viver a vida real, de cara limpa e peito aberto. A realidade simplesmente me derruba. Nada daquilo que aprendemos ao longo da vida nos prepara para a frustração que é saber que a vida é só isso. Não tem nada mais. É só esperar pelo fim, enquanto algumas pessoas vão na frente, e nós ficamos aqui nos agarrando a isso, sem saber como pode ser depois. E mesmo com todo esse medo que nós, que somos tão pequenos, somo apenas um pedaço de tudo isso, sentimos, as vezes desejamos que tudo acabe logo, e que seja sem sofrimento e sem dor, porque todo o sofrimento e dor da realidade a nossa volta, já nos faz sofrer tanto, e nos mostra como é insuportável estar aqui nessa espera. Uma espera longa e angustiante pelo fim, com o eterno medo de nada acontecer entre o inicio e o final de tudo. O medo de ter apenas passado por aqui, e não acontecido aqui. O medo que o esquecimento se abata sobre a nossa existência, no meio de bilhões iguais. Nós não deixamos marca nenhuma. Nós simplesmente não somos nada...

14 junho 2008

Fiquei meio de mal com o Renato essas duas ultimas semanas. Fiquei puta com ele por umas besteiras quaiquer ai, e pronto...
Acho que agora a gente já tá normal, se é que ele chegou a perceber que a gente tinha ficado um tempo sem se encontrar! uhauhauh O Renatinho é meio desligado mesmo!
De resto tô por aqui como sempre. A Anne Cris aperou!! Tá legal, pelo visto... No trampo tá tudo aquilo lá de sempre... Uma coisa meio estacionada. Minha cirurgia tb, ou seja, tudo meio paradão agora...
Pô num tenho assunto!!! E isso é duro de admitir!!

26 maio 2008

Antes que eu me esqueça, a Rubita se arrebentou no sábado andando de moto. Nem se arrebentou tanto assim, tanto que me ligou do pronto socorro, com a dona da moto do lado. Quase quebrou o pé, e fez uns estragos na moto. Ainda bem que ela tava sozinha.


Hoje me senti pessima o dia todo. E no final da tarde então... Tava rezando pra meu ônibus chegar logo. Num sei se o que tô pegando é uma gripe, ou sei lá o que. Só sei que tô com uma tosse de égua velha morrendo na beira de estrada que nem dá pra acreditar! Tô dando um tempo porque senão meu pulmão não aguenta.


Essa semana ficam prontos meus exames, e claro, acho que rola uma certa apreensão, e talvez isso explique porque minha cara tá toda marcada! Normal, normal! Isso acontece. Talvez seja mais medo do que pode acontecer, do que com o que não aconteceria, se é que alguém me entedeu!


Ah! Outro dia eu li uns posts bem antigos que eu escrevi. Meu estilo é pessimo, e eu não consigo me lembrar do motivo pelo qual escrevi as coisas! Além do mais, eu tenho uma certa tendência ao drama...


Tem 4 gatinhos morando debaixo do meu sofá do quarto. Quando a mãe dele entra, ela senta na frente do sofá e dá uns miados, e logo eles responde com miadinhos e saem lá de baixo pra se enroscar nela. Eles não são meus, nem eu sou deles, mas eles estão aqui, e eu espero que eles fiquem bem, e cresçam bem. São lindos. Estão começando a fazer coisas que gatinhos fazem, como brincar e bocejar, embora ainda caiam pro lado de vez em quando, quando estão andando! Gosto de observar eles.


Bem, o jeito é terminar por aqui, e ir pra cama tentar me recuperar pra amanhã...




*************




Olha que bonitinho....


Ah, eu curto emos.... =]

24 maio 2008

Meu feriado foi basicamente isso: internet, tv, cama, sofá, videogame. Não necessariamente nessa mesma ordem. O Lulu, o Pedro, a Rubiz, e o Renato vieram aqui algumas vezes. Bom, o Renato veio muitas vezes! rs

Fiquei na cama até tarde recuperando meu tempo de sono perdido, mas não recuperei nem um pouco a limpeza perdida da minha casa... Num deu tempo né? Tem coisas que são mais importantes do que faxinar uma cozinha...

Agora tô voltando a ter contatos com o pessoal antigo da net. Ontem fiz uma coisa muito legal. Primeiro que do nada encontrei a Simone on line, e trocamos idéia um tempão, e logo depois entrou a Claudia, e ficamos muito tempo na conversa de voz do MSN. Agora que tô com banda larga, dá pra fazer essas graças, e foi muito legal mesmo!!! Demos risada!!


***************


Ontem fui no banco acertar meus empréstimos antigos, e fiquei reparando numa coisa. Bom, de tanto todo mundo falar de pé, a um tempo atrás começei a reparar no pé de todo mundo! O meu tá sempre preso naquela meia, e devidamente guardado dentro do All Star. Geralmente reparo nos pés das minas que ficam no terminal rodoviário. Puta merda! Pé é um troço nojento! Eu vejo cada pé horrível por ai, numas sandalinhas podres e ridículas! Um nojo meu, um nojo! Como tem gente que coloca aquelas coisas na boca???? AAARRRGGGHHHHH!!!! É um nojo!!!

No banco, depois de ficar mais de uma hora e meia esperando pra ser atendida, passei o tempo reparando nos pés das atendentes. Outro nível, calçados numas sandalinhas menos ofensivas visualmente. Ainda assim, num entendo como tem cara que ama pé, que gosta de chupar e lamber pé!! Credu! O fato de começar a reparar os pés dos outros na rua não me tornou uma pedólatra, ou podólatra, ou podóloga, ou pedófila, ou sei lá como se chamam as pessoas que gostam de pé. Por enquanto só tô tentando entender o que é que os pés tem que atraem as pessoas. Uma vez o Rodolfo me falou que quando ia ficar com uma mina, sempre dava uma olhada no pé dela antes, que se fosse um pé feio, nem pensar. Ainda bem que ele não costuma passar no terminal pra dar uma olhada nos cascos que andam por lá.

Pior é pintar unha do pé de café! Cor escura! Parece que prendeu todos os dedos do pé na porta do carro, ou que tá com micose em todos os dedos! Já num curto contato físico. Contato com pé então... Nem pensar...

22 maio 2008

O menino mais lindo do mundo vem na minha casa as vezes. Eu confesso que só sturo todas as esquisitices dele porque ele É o menino mais lindo, fofuxo, com o cabelo mais lindo, e a boquinha mais rosinha, e a pele mais branquinha do mundo inteiro!!! Ele é fofo, fofo, e tira vantagem disso, porque não dá pra gente dizer não praquele menino tão lindo, e ele sabe disso...

20 maio 2008

BACK
IN
BLACK
Sabe que eu nem mesmo falei da semana passada, que deveria ser um marco pra mim!!!! Do dia 9 de Maio à dia 18 de Maio, como que por enquanto, tudo deu certo!!! Tanto que eu estou aqui, em casa, escrevendo este post!!!! Não só tô com micro em casa, como também tô com net via rádio!!! =D Legal né????
De resto, tudo o mais deu certo, paguei as contas, coloquei piercing, tô basicamente encaminhada na cirurgia e tudo foi acontecendo de maneira legal e estranha, porque falando sério, quando tudo começa a dar certo dessa maneira, é claro que deve ter alguma coisa sinistra por trás.... Mas talvez eu só esteja falando disso porque desacostumei com as coisas dando tão certo. Dá medo...
Pra finalizar, a Simone, o Fábio, a Márcia, e as crianças, e todo o resto da familia se reuniu no batizado da Ana Carolina no domingão! Foi muito legal mesmo!!!!
Mas claro que no final eu dei uma cagada sensacional!!! Mas tudo bem, porque foi fazendo uma grande idiotice que eu percebi que talvez, realmente, eu esteja curada de grandes males antigos e desesperados!! E tô pagando o preço, porque era pra semana terminar de maneira sensacional, e na verdade terminou comigo tendo crises quimicas de pânico, e uma louca desmaiada no banheiro!
Por favor, não me pergunte! Eu nõ sei como essas coisas acontecem comigo!!! Quando eu percebo, as coisas mais doidas podem estar acontecendo aqui em casa! Por isso que eu não saio mais. Pra quê? A Rubita e eu estavamos aqui, e derepente parecia que a noite tinha virado do avesso! Ainda bem que ela tava aqui!
Essa unica mancada da semana não diminuiu o brilho de todo o evento que foi a semana em si. As coisas estão dando frutos e tô sentindo que depois dessa experiência de domingo, as coisas realmente nunca mais poderão ser como antes! Não sei direito se isso é bom ou é ruim, mas... Toda mudança é bem vinda, como dizia meu amigo Verde!
Minha vida é única. Eu tenho sorte, mesmo no meio do olho do furacão!!!!!

18 maio 2008

Bem, eu voltei!!! Voltei com um micro legal e com banda larga. Isso significa que eu voltei bem!
Mas eu tô pagando por isso, claro.
Tem várias coisas legais acontecendo, e não posso jamais reclamar de nada.
E tenho feito coisas que estão elevando meu espírito. Não é nada disso que ninguem está pensando! São coisas muito loucas mesmo...

07 maio 2008

Por simplesmente não dá. Eu sei que tem coisas que não foram feitas pra mim, e não tem nada detentarmais que eu tenha fé, e seja mansa ao não me desesperar com a vida, tem algumas horas em que . divino nisso. É em parte por eu ser um grande fracasso em tudo o que fiz até hoje. Tem coisas que apenas não são pra mim, e eu vou ter que me conformar com isso, e finalmente parar de tentar.

24 abril 2008

O que é que se começa a fazer com 26 anos? Quanto tempo pela frente pra começar alguma coisa que realmente faça diferença na vida? Pra se aprender a fazer algo realmente bem para se orgulhar? Quanto tempo se tem para alguma coisa que mude a vida de uma pessoa?
Agora é o início do fim, e o fim é sempre uma grande humilhação, quando se precebe que não importa o tempo que se perdeu para trás, porque simplesmente não existe como recupera-lo adiante.
REPLICA
Fear Factory
I am a duplication
Innocently
I was conceived
So violently
There was no love
There was no love for me
There was only hatred

I am rape
I am hate
I am rape
I am hate

Every day I feel anonymous hate
Forever in the shadow of disgrace

I am rape
I am hate
I am rape
I am hate

Filled with pain
A bruised and darknened soul
Spare me from the
Life that's full of misery

I don't want to live that way
I don't want to live that way

There is no love

Every day I feel anonymous hate
Forever in the shadow of disgrace

I am rape
I am hate
I am rape
I am hate

Filled with pain
A bruised and darknened soul
Spare me from the
Life that's full of misery

I am so filled with pain
A bruised and darknened soul
Spare me from the
Life that's full of misery

I don't want to live that way
I don't want to live that way

I am so filled with pain
A bruised and darknened soul
Spare me from the
Life that's full of misery

Spare me from the
Life that's full of pain
Spare me from the
Life that's full of pain

I don't want to live that way
I don't want to live that way

16 abril 2008

Hoje eu fui no médico, mas ele não apareceu. Um pouco mais cedo eu tentei ir no banco catar meu cartão, mas também não deu certo. Poutz, nem vou falar nada sobre o médico, porque já estou muito puta. Foi tão frustrante chegar lá, que tive vontade de discutir com a mulher do balcão.
Antes de entrar no SUS encontrei o menino Rodolfo... Foi legal e estranho. Legal e estranho mesmo, mas ele me pareceu bem. Vai ser pai, e falou que vai pintar lá em casa. Tomara que ele apareça mesmo.
Tô tão, tão deprimida. Pode ser TPM, ou algo do tipo, ou meus hormônios tentanto me pregar uma peça, sei lá, mas tem algo errado como sempre.
O José que tinha sido operado e no final foi parar na UTI já está em casa. Ele pareceu estar bem. Tomara que sim.
Escrevi pro Peter, mas ele ainda não respondeu, nem sei se vai...
As coisas estão indo bem, mas ocasionalmente eu percebo como a vida pode ser chata e deprimente, e como todos caminham na mesma direção, e embora eu tente escapar, não dá. Eu também tô indo pra lá. Onde eu vou parar? Pra que lado eu quero ir mesmo? De qualquer maneira, ontem fiquei pensando, pensando. Claro que eu tenho medo de voltar a velha vida de antes, mas por outro lado, eu estou esperando o que pra voltar? Não por medo de alguma coisa me acontecer, porque tanta coisa já me aconteceu, mas por um lado, por mais que eu queira ficar bem, estar bem, tem uma coisa que me pouxa pro outro lado. Eu queria voltar sim. Pra aguentar tudo isso, não consigo estar de cara, porque o peso do tédio, do marasmo, é grande demais pra mim, e é só isso que existe. Não tem mais nada no mundo, exceto para algumas poucas pessoas, e infelizmente eu não sou uma delas... Eu não sei queal é a minha turma, ou o meu lugar. O único lugar que eu conheço é dentro da minha casa, sozinha, num tédio fenomenal. Talvez eu volte atras, por mais que eu tenha dito que não queria isso. No fundo eu queria sim. Era exatamente voltar praquela vida que eu queria. Só falta alguém abrir a porta pra mim, se eu não tiver coragem de fazer isso sozinha.

12 abril 2008

É mentira que eu não tinha nada pra fazer nas férias. Eu fui pra casa da Marcia e foi ótimo! Matei saudades dos meus sobrinhos fofos, e joguei um monte de play station com o Igor. Comi chocolate na pascoa... Mas depois que eu voltei pra cá... Uma grande depressão se abateu sobre a minha pessoa... Bom, isso já passou. Voltei pro trampo, o imbecil do meu chefe continua sendo o mesmo idiota de sempre, o trampo ta igual. Tudo igual, como tem que ser.
Dia 16 tenho médico, e com sorte, ele vai marcar a cirurgia. Alias, o José fez e tá na UTI cheio de problemas. Tomara que ele se recupere.
Ah, ganhei um CD com umas 6 horas de WWE pra assistir!!!! =D

19 março 2008

Sabe, eu estou de ferias. Não tenho muitas coisas pra fazer de férias. Pra falar a verdade mesmo, não tenho nada pra fazer, exceto comer, dormir, e dar umas voltas por ai com a Rubizz de vez em quando. Mas veja só que coisa. Não posso ficar muito tempo com a Rubita porque a mina dela é pentelha, fica enchendo o saco. Coisa de namorada chata. Coisa aliás que eu já acostumei, porque ainda tenho que aturar a mina do Junior, a Lucelia. Ela também não acha que eu possa ser uma boa amizade pro maridão dela, no caso o Junior... Porra meu, falando muito sério agora. Eu já fiz um pouco de tudo nessa vida, menos sexo com cachorros, crianças e cadáveres. De tudo o que eu já fiz, poucas coisas podem deixar, por exemplo, uma mãe orgulhosa, ou quando muito, eu mesma. Mas se tem uma coisa que eu e todo mundo no mundo tem que concordar, é que eu sempre fiz as coisas pela minha cabeça e nunca dei ouvidos pros conselhos alheios, fossem eles bons ou maus.
Levando isso em consideração, fico imaginando por que diabos a Lucelia acha que eu sou uma companhia tão ruim pra um marmanjo de 40 anos? E porque a Rubita não faria as mesmas coisas que sempre fez sozinha? Sou eu, por acaso, guarda do meu irmão?
Isso tem me irritado constantemente. Ultimamente então nem se fala. Tento não pensar muito nisso, mas férias, sabe como é. Tempo de sobra pra pensar em besteiras de sobra. E tirar conclusões que poderiam ser menos piores. Meus amigos são uns bunda moles mesmo...
Mas mudando de assunto, reconheço que sou uma fã muito irresponsável. Nem fiquei sabendo que meu Idalo foi preso porque espancou um cara, quando tava loucão de alcool e cocaina, internado numa instituição psiquiatrica, e sofreu horrores e ainda teve que lutar por sua vida no cadeião!!! Talvez os presos norteamericanos não dêem valor a vida do meu lindinho, fofo, maravilhoso, grande, e hoje em dia, um tanto quanto acabadinho, Peter Steele, mas eu dou muito muito!!! Apesar de que nowadays eu queria poder dar mais e mais... Pode vir Peter, que meu ombro e minha cama de tijolinhos estão ao seu inteiro dispor!!!!
GREEN MAN

Spring won't come, the need of strife
To struggle to be freed from hard ground
The evening mists that creep and crawl
Will drench me in dew and so drown

I'm the green man
The green man

Sol in prime sweet summertime
Cast shadows of doubt on my face
A midday sun, its caustic hues
Refracting within the still lake

Autumn in her flaming dress
Of orange, brown, gold fallen leaves
My mistress of the frigid night
I worship pray to on my knees

Winter's breath of filthy snow
Befrosted paths to the unknown
Have my lips turned true purple
Life is coming to an end
So says me, me wiccan friend
Nature coming full circle

I'm the green man
The green man

25 fevereiro 2008


Marcia diz:
fazer o que, cada um com sua esquisitice
Excentric Herself diz:
pois eh... e ainda dizem q eu q sou estranha
Marcia diz:
no atual momento, tô achando vc a pessoa mais normal q conheço
Excentric Herself diz:
uhauhauhauhauhauha

16 fevereiro 2008

Fui ver a Ingrid e o Carlos. Demorei um tempo pra ir lá... Num sei... Não sabia o que dizer, como quando eu perdi minha mãe, o Carlinhos. Ninguem nunca sabe o que dizer, nem o que fazer. E eu fiquei com medo. Mas acabou que eu fui lá, e foi muito bom. A Ingrid me mostrou belas fotos minhas com o Ravel, e eu fiquei feliz de ver que ele ainda as tinha. Estou aguardando ela me mandar as fotos, e talvez eu coloque alguma aqui, ou talvez eu guarde, ainda não sei.
Foi bom ter ido lá e visto que eles estão bem, e vivendo, como deve ser, porque tudo sempre melhora. Pode nunca passar, mas melhora sempre.
Bom, eu falo sozinha... Falo mesmo, não tipo... Fazer comentários com o cachorro! Eu tô falando de palestrar, trocar idéia, pedir opinião! Se eu tô sozinha, então significa que tô falando comigo mesma. Talvez exista uma entidade ouvido morando na minha casa, e eu desça nela e não o contrário. Bem, pode ser o que for, mas eu acho mesmo que eu converso com uma outra eu, como se eu tivesse várias personalidades diferentes. Não, personalidades não. Como se eu fosse várias pessoas totalmente diferentes, de maneira que na mesma conversa eu posso saber a opinião de vários tipos de pessoas ao mesmo tempo, mas como eu tô sozinha, essas várias pessoas são eu mesma! Deu pra entender???


Dito isso, tenho que falar que a minha imaginação é prodigiosa. Pode perguntar pra minha amiga Simone, que já me viu em ação. As vezes esse tipo de coisa pode ser bem útil. Pra mim é utilíssimo, ainda mais porque passo muito tempo sozinha. Quando você vive sozinha, sua imaginação pode se tornar uma muleta bem legal nas épocas de depressão. Geralmente quando eu não consigo encontrar nada pra ocupar minha mente é porque a situação tá ruim mesmo!


E minha imaginação fértil é acompanhada por minhas manias. Conforme eu vou vendo as coisas pelo mundo, minha imaginação começa a funcionar, e a fazer mil perguntas, e como não tem ninguem pra responder, minha própria cabeça encontra respostas que façam qquer sentido.


Bom, isso tudo foi dito pra introduzir minha nova mania!! Rufem os tambores!!!


O


WWE!!!!


Uhhuhuuuhuhuu


Eu sei que não parece grande coisa um monte de caras bombados vestidos em roupas ridiculas, mas podem acreditar que morando em Jaú, e não fazendo absolutamente nada a não ser trabalhar, as coisas mais curiosas parecem empolgantes! E falando em empolgante, que coreografias empolgantes eles fazem!!! Eu sempre me pergunto como eles montam aquele circo todo! E eu tenho meus favoritos, claro!!! E claro que vou colocar as foteenhas deles aqui!!!




BATISTA





REY MYSTERIO




JEFF HARDY


Bem... É isso ai...

12 fevereiro 2008

Minha irmã é mais, minha irmã eh gênio!!!!

Marcia diz:

É tanta gana pra gastar e tão pouca pra ganhar

Excentric Herself diz:

uhauhauhauhauhauhauhuahuha

Excentric Herself diz:

Pô, q frase linda...

Marcia diz:

Linda e sincera

Quando o bicho pega lá no trampo, por exemplo, eu faço um feitiço facinho, o Feitiço das Asas. Ele não exige nada, a não ser um pouco de concentração e imaginação, e ocasionalmente uma vela, mas no trampo não dá né? Como o bicho só pega mesmo lá no trampo, então geralmente faço aquele feitiço por lá, apesar de que em casa seria bom também. É legal pra autoconfiança. Claro que minhas asas são lindas asas de fada, como se fossem de borboletas, mas muito mais mágicas, e lindas...

Como eu disse, o bicho só pega mesmo no trampo, e de resto tá tudo bem. Num marasmo entediante, mas bem. Como sempre tô meio de saco cheio do mundo, e entediada. Super entediada. Definitivamente, tenho que pensar em Jaú como um lugar muito distante. Um lugar que eu passei, mas que não vou ficar. Bom, isso é uma coisa pra um futuro, talvez até remoto. Depende se vou sobreviver mais esse ano, porque tô sempre achando que tô pra morrer. Será algum tipo de fobia doida e mórbida? Se eu sobreviver à mesa de cirurgia, então tudo bem. Ou talvez minhas asas lindas de fada me levem pra algum lugar muito legal, pra um mundo diferente e surpreendente!! A Terra Média!!!

Enquanto isso, aqui nesse mundo mesmo o carnaval passou, e com isso o começo do ano já foi embora, e isso significa que ele está acabando.

Toda vez que passa o carnaval, eu me lembro de uma pessoa que eu amei muito, muito, e com quem passei os carnavais mais pirados do mundo! Provavelmente o pessoa que eu mais amei do principio até o fim da vida, porque nada se comparou até agora àquela grande ansiedade que era ver ele passando... Eu amava o Luciano, mesmo ele me escrotizando, me tratando mal, enchendo a cara, enchendo o saco, me enchendo de tapas!!! Era tudo!! Era lindo, e foi lindo desde os meus 11 anos de idade quando ele falou comigo pela primeira vez. Geralmente é assim. Quando eu odeio muito, é porque vai virar um lindo amor!!! E eu não ia nada com a cara dele no início, mas o tempo passou, e eu gostava tanto dele, e ele de mim... E era tão doido, e ai finalmente eu tive que vir embora, e ai já não virava mais nada mesmo...

Logo depois que eu vim pra Jau, provavelmente menos de um mês depois de me mudar definitivamente pra cá, eu voltei pro Rio, e nós passamos a noite na minha casa, no meio daquele caos da mudança, coisas jogadas, encostadas, poeira. E no meio da sala um cantinho limpo pra gente trocar idéia e se entender, e entender tudo o que acontecia com a gente, porque além de tudo ser tão louco, nós éramos tão loucos... Foi tão legal e único na minha vida, porque eu nunca gostei tanto de alguem quanto gostei dele, e ele falava sempre as coisas certas, sem frescura, porque eu num curto muito essas coisas... huahuahauahua Era único... Essa é a palavra certa pro grande amor de uma vida... Único... Único e legal, único e lindo, único e estridente, e sofredor as vezes, porque ele tinha vários problemas, e ele queria tanto me agradar... Cada coisa que passamos...

O carnaval me lembra muito ele, e a gente tava sempre se amando e odiando ao mesmo tempo, e ele me ensinando um monte de coisas.

Agora ele tá casado e com filhos... Louco não? Ele dizia que eu era o amor da vida dele, e quem conhecesse bem o Luciano, e eu conhecia, sabia que era verdade, e apesar de nunca ter muita auto estima, nunca acreditar que as pessoas pudessem realmente gostar de mim, eu sabia que era verdade... E eu gostava tanto dele, e nunca escondi isso. Não existe mais ninguem daquela época com a qual eu tenha contato hoje em dia pra me falar sobre ele, pra eu poder dizer que fui um grande amor verdadeiro da vida de alguém, E EU FUI!!!!

Mas isso é passado, e como sempre acontece com o passado, já passou. Lembrei também do Carlinhos e dos carnavais que passamos juntos, com o menino Rodolfo e, é claro, o Beba!! Rs* Foram lindos e doces momentos...

Bom, ontem eu saí de carro com a Rubita, com ela no volante. É quase igual a minha época de fusca, mas no caso ela é que está no volante de fusqueta!!! Muito legal mesmo!

Sabe, as coisas estão pr amudar. Eu sei que já disse isso antes, mas é que ainda faltava bastante tempo, e agora não. Agora falta pouco. Eu não sei como vai ser a mudança, nem sei se vai ser pro bem ou pro mal, porque todas as mudanças sempre são pro bem. Mas eu tô bem ansiosa...


Ah, antes que eu esqueça!!! Como nas sextas-feiras tenho feito um horário alternativo no trampo, consegui, muito por acaso mesmo, ver a Claudia no programa da Ana Maria Braga!!! Não é demais??? Fiquei tão doida que acabei nem prestando muita atenção no que ela disse, mas fiz a lição de casa, e vim dar uma conferida no vídeo no site do programa Mais Você!! Cliquem! Cliquem! É minha amiga! E ia realizar meu casamento!!! =D